Notícias

31/05/2012 | Argila é utilizada para conter aterro

Durante a duplicação da BR-392, medidas são tomadas para que a obra não cause impacto ao meio ambiente

 

A nova pista da BR-392 é construída em cima de um aterro, feito com solo arenoso. Em alguns trechos da rodovia este aterro é mais alto, principalmente quando passa por áreas de banhados, onde os solos são moles, o que pode contribuir para o aterro ceder. Nestes pontos, a quantidade de material arenoso utilizado é maior, e com as chuvas, pode ser carreado para dentro dos banhados. Para minimizar impactos como esse, o DNIT desenvolve Gestão Ambiental em suas obras, que na BR-392, é executada pela empresa STE.

 

Entre os quilômetros 38,4 e 38,7 da BR-392 a supervisão ambiental juntamente com a construtora, precisou tomar medidas para que o material do aterro não atingisse uma área de banhado. Depois de pronto, este aterro foi coberto por argila, material que, no local, cumpre duas funções. “A argila compactada ajuda a segurar as partículas arenosas do aterro evitando que o material seja carreado para as áreas adjacentes à rodovia e também contribui para a revegetação da parte lateral, chamada de talude”, diz o supervisor de campo, Francisco Feiten. Essa revegetação é feita também como forma de prevenção da erosão, já que o plantio de gramínea nos taludes diminui consideravelmente o potencial de erosão no local. 

anteriorpróxima

Copyright © 2011 | Todos os direitos reservados | STE - Serviços Técnicos de Engenharia S.A.
Praça 7 de Julho, 36, sala 02 |Pelotas/RS | 53.3027 27 11 | 3027 27 13 | NATIVU DESIGN
Visitante: 947302